Fenasucro espera visitas de Temer e Alckmin na abertura, Fenasucro, Cepea, Ceise, visitantes

Fenasucro espera visitas de Temer e Alckmin na abertura

Presenças estariam '99% certas'; 24ª edição da feira começa no dia 23, em Sertãozinho, e espera movimentar R$ 2,8 bilhões em quatro dias

A 24ª edição da Fenasucro & Agrocana, que acontece no Centro de Eventos Zanini, em Sertãozinho ,entre os dias 23 e 26 de agosto, será a feira da virada. Ao menos é o que garante os organizadores, que esperam movimentar R$ 2,8 bilhões – mesmo montante de 2015 – e receber mais de 30 mil visitantes, de 43 países.

Leia mais:
Fenasucro anuncia parceria com categoria que pretende ter ‘novo Senna’

Em anúncio de parceria com nova categoria de automobilismo, o presidente do Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (CEISE Br), Paulo Gallo, disse que o mercado para os usineiros e representantes da indústria da cadeia sucroenergética ainda não é o ideal, mas já é melhor do que nos últimos anos, o que pode elevar as expectativas do setor industrial.

Para ele, o motivo desta virada são a perda de valor de mercado da Petrobras, o que fez os combustíveis fósseis elevarem os preços, e levaram o consumidor a preferir o etanol, no lugar da gasolina, e a demanda por açúcar no mercado internacional, que enfrenta déficit de 7 milhões de toneladas, "forçando" a elevação do preço do produto - as sacas de 50kg tiveram aumento de R$ 50 para R$ 80 nos últimos 12 meses, segundo a Cepea.

“Pelo contato com o mercado, o número de visitantes já confirmados, e a quantidade de expositores garantidos [500], a virada para melhor no nosso setor é uma constatação, não é da boca para fora”, analisou Gallo, que espera contar com as presenças do presidente interino Michel Temer (PMDB) e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), esse “99% certo”, na abertura da feira.

Quem também está otimista para a feira, é o diretor dela, Paulo Montabone, que conta que a perspectiva positiva parte dos próprios consumidores. Segundo ele, 30% dos compradores têm intenção de fazer acordos de ao menos R$ 500 mil.

“Crescimento, retomada, energia limpa e consumo de etanol são as palavras que mais ouvimos de nossos compradores. Isso demonstra que é o momento da retomada. Esses possíveis investimentos serão feitos com os pés no chão. Eliminamos os aventureiros, e só os bons compradores permaneceram”, avaliou Montabane.

Foto: Leonardo Santos

Compartilhar: