A Cavaquinha e o Mirtilo

A sua carne branca, leve, macia e delicada, protegida por uma carapaça rígida, exige cuidados especiais durante o preparo para não comprometermos o aroma e o sabor característico e ligeiramente adocicado que se desprende logo de início, quando sua cauda entra em contato com o calor da manteiga fresca em uma frigideira. 

A cavaquinha, conhecida também pelo nome de Lagosta Sapateira e, na culinária francesa, como “Cigale de la Mer”, é um crustáceo da família “Scyllaridés ” que possui uma cauda semelhante à da lagosta, mas com uma carne muito mais delicada e saborosa. O tamanho médio de sua cauda é de 12 a 15 centímetros de comprimento e, quando comprimida entre os dedos, temos a sensação de estar cheia. 

Para facilitar a liberação da carne, com o auxílio de uma tesoura, corte fora o último anel da cauda. No próximo passo, com a mesma tesoura, faça outro corte ao longo do comprimento da carapaça e, cuidadosamente, afaste com os dedos os dois lados, liberando delicadamente a carne. Retire a tripinha escura, quando presente, lave cuidadosamente a cavaquinha, reservando duas delas para cada um de seus convidados. 

Aprecie com um molho preparado com mirtilos (blueberries). Em uma panela, coloque 125 ml de vinho tinto seco, 15 ml de vinagre balsâmico, 60 gramas de açúcar granulado e leve ao fogo até formar uma calda espessa e xaroposa. Adicione 225 gramas de mirtilos, esmagando-os levemente; mantenha em fogo baixo durante 10 minutos, corrija o sal. 

Em uma frigideira pesada e de fundo espesso, doure ligeiramente as caudas das cavaquinhas em manteiga e aprecie com o molho de mirtilos. Bon appétit! 

Dr. João Roberto
Food & Wine Styling and Photography
absolutfoodandwine@gmail.com 

Compartilhar:




Blog Gastronomia

João Roberto
Por João Roberto Médico formado pela USP e consultor em food & wine styling and phtography, e-mail: la.pyramide@uol.com.br
Ver todas as postagens de João Roberto