DICAS PARA A PROVA DE REDAÇÃO DO ENEM

1.       A proposta traz um problema social sempre. É preciso selecionar, organizar e relacionar argumentos para “minimizá-lo”.

Você não tem que solucioná-lo, mas sim propor sugestões para minimizá-lo.

O tema traz as palavras, como “caminhos”, “desafios” e as palavras-chaves. Então, pense: “intervenção” é “sugestão”. Esqueça a palavra “solução”.

Cuidado: os dois critérios que mais eliminam os candidatos são:

Fuga ao tema:

Para evitar, faça uma síntese didática do que pretende discutir.

A síntese tem que ter todas as palavras-chaves que constituem o tema.

Todos os parágrafos da argumentação têm que retomar a parte da introdução.

Por exemplo

 

INTRODUÇÃO: passado, presente

ARGUMENTAÇÃO: mostre que o seu texto é progressivo

2º parágrafo: passado (primeira análise)

3º presente: presente (segunda análise)

CONCLUSÃO: passado, presente (retoma a introdução)

Intervenção social

 

Intervenção social:

Explicitar o agente da intervenção, jamais generalizar. Por exemplo: o governo, os políticos, a imprensa.

Explique detalhadamente qual área do poder público – governo federal, estadual ou municipal.

Agente da intervenção: Quem fez? O que fez? Como fez? Por que fez? A quem atingirá).

Posso trazer para o texto uma “campanha” que já existe? Sim. Desde que você dê a sua cara a “ela”.

 

Se há dúvida sobre a ortografia, a acentuação, significado de uma palavra, troque-a por outra ou mude a frase.

Como argumentar? Não se esqueça de que, como o tema é um problema, para discuti-lo, destaque a diferença entre o “Brasil real – fatos, exemplos” e o “Brasil Constitucional – papel”.

Evite se estressar com boatos: não cairá um tema “aberto”? Não. Porque não será possível a intervenção social.

Posso “meter o pau” nos políticos e no governo? Não. Meter o pau não é argumentar.

Posso usar frases de autores famosos? Depende. Se ela couber na argumentação, sim. Se for apenas uma citação, não.

Quais temas podem cair? Bom, os mais abordados quando a prova estava sendo elaborada são: a) a pandemia e tudo o que a cerca; b) necessidade da vacinação em massa e o lockdown; c) investimento nas escolas militares; d) ensino remoto; e) evasão escolar; f) desmatamento; g) crises hídrica e elétrica; h) mobilidade urbana; i) desemprego e auxílio emergencial; j) dificuldade das classes menos abastadas de chegar aos remédios.

Compartilhar:




Blog Homem das Letras

Luiz Cláudio Jubilato
Por Luiz Cláudio Jubilato Professor de Língua Portuguesa, Redação e empresário , e-mail:[email protected]
Ver todas as postagens de Luiz Cláudio Jubilato