NÃO CONSIGO RESPIRAR

Hoje assisti a algumas situações torturantes e, ao mesmo tempo, tocantes pelo horror e pela sensatez, trabalho profiquo, solidariedade e autodefesa. Imagens causadas pela irresponsabilidade ou maldade ou ambas de alguém muito de tudo que há de ruim.

O grande Dirceu Martins, acostumado a áreas de conflitos, subir e descer cordilheiras, nos descreveu, com seu texto visual, repleto da sua obsessão pelo detalhe e pela captação das emoções, a imagem do horror que não víamos: o desespero de moradores ajudando bombeiros a apagar o fogo que poderia consumir o pouco que armazenaram durante uma vida de trabalho com o risco das próprias vidas. O trabalho inútil, mas incessante de um garoto persistente, armado com um balde d'água.

O repórter tem outra grande qualidade, não se omite atrás do migrofone, de jogar na cara do telespectador sua indignação. Não se descompromissa de nos exportar suas emoções. E as imagens disseram muito, várias vezes, tanto quanto as palavras. O cameraman, em perfeita sintonia com o momento, trouxe para a tela aquela sensação sufocante: "Não consegui respirar".

Por um momento, o repórter me levou a George Floyd, ao tentar, quase sufocado, colocar para fora a frase: "Não consigo respirar". Até os bombeiros não conseguiam respirar, mesmo que armados com equipamentos especiais para combater o fogo.

Obviamente os motivos são muito diferentes, mas a desumanidade é a mesma. O morador, aliviado, afirmou: "Alguém fez isso, fogo não pega sozinho". Empurando para dentro da cena, não conseguia respirar, até que o homem se viu aliviado.

Sem querer, talvez querendo, Dirceu levantou a questão que pode se tornar um movimento: "Não temos como respirar". Olhei pela janela: uma cidade envolta por uma neve. "Ribeirão Preto, Batatais, Franca, Restinga, Araraquara e região não conseguem respirar".

Pior, policiais, cheios de boa vontade de ajuda pessoa a respirar, foram torrados pelas chamas criadas pela irresponsabilidade ou responsabilidade com o próprio bolso de alguém que colocou fogo no mato. Esse ser ou seres conseguiram: o mato queimou, as estradas viraram guias de carros, caminhões e ônibus parados. Eles também "não conseguiam respirar". Até quando?!!! Até quando respiraremos? Será que pondo a culpa na repórter que mostra a "previsão" do tempo??? Até quando???

Compartilhar:




Blog Homem das Letras

Luiz Cláudio Jubilato
Por Luiz Cláudio Jubilato Professor de Língua Portuguesa, Redação e empresário , e-mail:[email protected]
Ver todas as postagens de Luiz Cláudio Jubilato