Um absurdo

(Artigo.: Professor Luiz Cláudio Jubilato)

Como machucam certas palavras mal ditas. Uma ex-jogadora, das mais importantes do vôlei brasileiro, me deixou indignado. Ela pode discordar ou concordar com o que quiser, com quem quiser, contudo não pode se sentar sobre fatos. Apesar de o presidente (candidato) dizer que o número de mortes por COVID foi superestimado, a OMS e muitos cientistas respeitados já afirmaram que estão subestimados. Muita gente morreu na expectativa de uma UTI, muita gente morreu em casa e vai por aí. A maioria foram pretos, pobres, miseráveis: "abaixo da linha da pobreza" é uma expressão ridícula.

Voltando à jogadora abastada, vestida de ciclista, que focou a câmera em seu rosto e perspegou: "Sou contra a vacina", "mas vou tomar assim mesmo". Afirmou, sem vergonha: "Vou tomar a Pfizer". A bordo do seu vasto conhecimento científico, afirmou que é a melhor, pois se toma apenas uma única dose.

O que ela pretende, ao tomar a vacina? Viajar pelo mundo.

O dinheiro é dela, o sonho é dela. Pode ir para onde quiser, fazer o que quiser, porém é, no mínimo, absurdo, para não dizer outra coisa, que, para uma pessoa pública. que trata de vida saudável na internet, posicionar-se de uma forma tão bizonha.

Do mesmo jeito que sempre fui fã da atleta, passei a ter aversão à pessoa. Não porque disse que não acreditava na vacina, mas porque foi para a web dizer que não disse o que disse. Ela mesma, aos risos, documentou com a própria câmera. Ao negar, desrespeitou ou desprezou a nossa inteligência.

É uma pessoa sobre a qual sequer posso tecer opinião pessoal, pois não a conheço e não quero conhecê-la. Posso, no entanto, conjecturar: ou é cega ou caolha ou tem algum problema cognitivo ou crê na burrice dos brasileiros. Não cabe aqui discutir o caráter, não se trata disso, mas de desprezo: São mais de 500 mil pessoas mortas. Será que nunca se perguntou o motivo que levou a maioria dos países a não permitirem que pessoas não vacinadas atravessem as suas fronteiras? Por que os outros líderes mundiais tomaram a vacina em público para servirem de exemplo? Por que Biden está doando vacinas ao Brasil?

Despresíveis os fascistas que não usam máscaras com medo de parecerem doentes e frágeis. Desprezíveis os negacionistas. Não é à toa que viramos uma piada pronta. Triste, uma pessoa andando de bicicleta, pregando vida saudável, se mostrar mais no chão do que o pneu da sua bicicleta.

Compartilhar:




Blog Homem das Letras

Luiz Cláudio Jubilato
Por Luiz Cláudio Jubilato Professor de Língua Portuguesa, Redação e empresário , e-mail:[email protected]
Ver todas as postagens de Luiz Cláudio Jubilato