Bastidores da Política | 01.03.2019, bastidores, politica, próurbano, transerp

Bastidores da Política | 01.03.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Alhos

O Sindicato dos Servidores de Ribeirão Preto aprovou a pauta de reivindicações com o aumento salarial de 5,48%, em assembleia geral. O valor corresponde a 3,78% de correção do IPCA e mais 1,7% de aumento real.


Com bagulhos

Segundo os sindicalistas, a taxa de 1,7% equivale ao aumento de igual proporção da população ribeirãopretana. Para eles, mais gente é sinônimo, diretamente, de mais trabalho: o crescimento do número de habitantes teria resultado em acréscimo nas atividades aos servidores, devendo ser recompensada à mesma altura.


Chumbo trocado

A Prefeitura de Ribeirão Preto multou em R$ 428 mil a Mattaraia Engenharia, empresa contratada para realizar o trabalho de recapeamento das ruas da cidade. Segundo o Executivo, a multa se deve ao descumprimento do contrato por parte da empresa que teria abandonado obras firmadas em dois contratos. 


Não dói

Já a Mattaraia alega que a obra não foi abandonada, mas teve de ser paralisada por falta de pagamento da administração municipal. Segundo um funcionário, o calote do município já está na casa do R$ 1,5 milhão. A empresa pretende entrar com um recurso na Justiça contra a aplicação da multa.


Dá-lhe zap zap

Os vereadores foram pegos de surpresa no meio da sessão da terça-feira, 27 de fevereiro, com a notícia das desfiliações do PSL de Ribeirão Preto. Com os olhos fixos nos celulares, muitos deixaram de prestar atenção em quem falava na tribuna para ler o ofício do partido. 


No pomar

Ainda sobre a debandada do PSL, alguns vereadores, em tom de deboche, brincavam com os recentes escândalos de candidatos laranja no partido. “Balançou o laranjal?”, perguntou um dos parlamentares. “Com certeza tem a ver com os laranjas”, respondeu outro.

Auditoria em questão

O superintendente da Transerp, Antônio Carlos de Oliveira Júnior, foi sabatinado pelos vereadores na terça-feira, 26 de fevereiro. O pedido surgiu após a CPI do Transporte questionar uma licitação aberta pela Transerp para a contratação de serviços de auditoria da bilhetagem na cidade. Segundo os parlamentares, a própria autarquia deveria realizar a auditoria e não uma empresa terceirizada. Oliveira alega que a implantação do serviço na prefeitura iria pesar no bolso do contribuinte e que a empresa contratada é confiável.

“Não é questão de estar satisfeito [com a PróUrbano], é questão de seguir o contrato” 

Antônio Carlos de Oliveira Júnior, superintendente da Transerp, ao ser questionado se estava satisfeito com o serviço de auditoria da PróUrbano no transporte público de Ribeirão Preto

Compartilhar: