Bastidores da Política | 03.05.2019, política, bastidores da política, bolsonaro, joão doria, agrishow

Bastidores da Política | 03.05.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Se não vai por bem, vai por mal
Tentando pressionar o prefeito Duarte Nogueira (PSDB), o Sindicato dos Servidores Municipais protocolou uma denúncia de improbidade administrativa na Câmara dos Vereadores no dia 25 de abril. Se fosse aceita, a denúncia poderia levar ao impeachment de Nogueira. Porém, em uma sessão tumultuada, a matéria foi negada. O pedido foi lido e votado com uma agilidade fora do comum. As 53 páginas do texto foram protocoladas na Casa, no final da tarde, e votadas logo no início da sessão, na mesma noite. 
Foto: Luan Porto
Queridinhos
Entre os políticos que participaram da abertura da Agrishow, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, estão entre os que receberam mais elogios. Apesar de a pasta do Meio Ambiente ter sido, por muito tempo, uma pedra no sapato dos grandes agricultores, Salles parece ter caído nas graças do setor. Ao afirmar que o problema ambiental do Brasil está nas cidades e não no campo, e que tiraria “ativistas” do Ibama, arrancou aplausos da plateia.


Lua de mel
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), mantém o discurso da campanha eleitoral de apoio incondicional ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele declarou que está “rigorosamente” ao lado do presidente, principalmente, na Reforma da Previdência. Adotando fala parecida à de Bolsonaro, Doria afirmou que é preciso analisar a “dimensão patriótica, sem ideologias e partidarismos” da reforma.
Foto: Luan Porto
Liberal na economia...
Em visita à Agrishow, o presidente Bolsonaro manteve, em princípio, o discurso ditado pelos organizadores da feira e agricultores: “tirar o Estado do ‘cangote’ de quem quer investir e produzir”. Contudo, minutos depois, o próprio Bolsonaro, pediu para que o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, diminuísse os juros para os produtores rurais.


...conservador nos costumes
O pedido do presidente, para que um banco estatal influenciasse diretamente na taxa de juros, causou alvoroço no mercado. Em poucas horas, as ações do Banco do Brasil caíram cerca de 1%. O movimento também puxou outras instituições financeiras para baixo. Somente ao final do dia, o porta-voz oficial do governo, Otávio Rêgo Barros, declarou que o presidente fez o pedido em um ambiente “amigável”. Com isso, as ações voltaram a se equilibrar. 

“Um recadinho para MST e outros ‘T’: este governo não admite invasão de propriedade. Não tem negociação com invasor. Invasor é criminoso e como criminoso será tratado”,

declarou o governador João Doria (PSDB), durante a Agrishow, em Ribeirão Preto.

Compartilhar: