Bastidores da Política | 08.11.2019, bastidores, política, Ribeirão Preto

Bastidores da Política | 08.11.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Pegou mal
A fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) na qual ele sugere a volta do AI-5, além de ser alvo de críticas em Brasília, também pegou mal em Ribeirão Preto. O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) e o presidente da Câmara dos Vereadores, Lincoln Fernandes (PDT), repudiaram a atitude. Também foi solicitada, pelo vereador Maurício Gasparini (PSDB), uma moção de repúdio ao deputado, que foi apoiada pelos colegas Marcos Papa (Rede), Luciano Mega (PDT), Jorge Parada (PT) e Rodrigo Simões (PDT).

Vossa alteza
Os vereadores Orlando Pesoti (PDT) e Renato Zucoloto (PP) criticaram uma suposta “soberba” do secretário de Planejamento Edsom Ortega. O pedetista afirmou que o secretário não respeita a Câmara e ignora as convocações do Legislativo. Já Zucotolo usou de ironia na crítica: “Vereador não tem competência para convocar ministro. Se quiserem convocar o primeiro ministro, tudo bem. Eu voto sim, mas não sei se ele vem”.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________
247 e contando

Os vereadores encaminharam, até o momento, 247 emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020. O número deve aumentar com as emendas das comissões. Porém, segundo Alessandro Maraca (MDB), presidente da Comissão de Finanças, não há garantia alguma de que elas sejam aprovadas pela Prefeitura. Em 2018, cerca de 90% das emendas foram derrubadas. Em 2017, todas as 444 propostas foram negadas pelo governo.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Bate-papo
Antes do início da sessão da última terça-feira, dia 5, o grupo composto pela maioria dos vereadores na Câmara, o “grupo dos 17”, reuniu-se para definir se mantinham ou não o nome de Fabiano Guimarães (DEM) como candidato à presidência da Casa em 2020. Há quem diga que a reunião foi só um “bate-papo”, porém, parlamentares que não foram convidados garantem ter ouvido gritos vindos da sala.

Disputa interna 
Apesar das discussões, ainda não há um nome definido para concorrer ao pleito. Guimarães segue no páreo, agora ameaçado pelo favoritismo do atual presidente, Lincoln Fernandes (PDT), que também faz parte do grupo dos 17. À Revide, Fernandes disse que está tudo em aberto. Já o democrata afirmou que foi uma “excelente reunião”
 

“Não vai sair esse Bom Prato. Se nem um aquecedor para a Cava do Bosque saiu, imagina o Bom Prato! Eu não fico me iludindo. Esquece isso”
declarou o vereador Adauto Marmita (PL) sobre as dificuldades na implantação do Bom Prato. 

Compartilhar: