Bastidores da Política | 13.03.2020, bastidores, política, Ribeirão Preto

Bastidores da Política | 13.03.2020

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Páginas da vida 
Três meses após assumir a Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic), o solista de ópera e professor de Ribeirão Preto Camilo Calandreli deixou o cargo. O ribeirãopretano era responsável, entre outras atribuições, por gerir a Lei Rouanet. Além dele, mais cinco nomes foram demitidos da pasta na véspera da posse de Regina Duarte na Secretaria Especial da Cultura.

Exclusivo 

O jornalista ribeirãopretano José Luiz Datena se filiou ao MDB. A assinatura foi feita durante cerimônia na presença do deputado federal e presidente do partido, Baleia Rossi (MDB), também de Ribeirão Preto. Participaram o senador Jorge Kajuru (CID), o presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Rodrigo Maia (DEM), além de outras figuras políticas. Datena é um dos nomes fortes na disputa pela Prefeitura da cidade de São Paulo em outubro.

Pré-temporada 

O vereador Waldyr Villela deixou o PSD e se filiou ao MDB na última semana. Como já adiantado pela coluna, o partido, que possui o maior número de filiados na cidade, busca montar uma chapa ainda mais forte para as eleições deste ano. A legenda também deverá indicar um candidato a prefeito.

Pré-temporada 2

O Democratas (DEM) oficializou a filiação da vereadora Glaucia Berenice, ex-PSDB. Apesar de o partido ser aliado do governo e coordenar boa parte das votações no legislativo, a legenda carecia de um nome popular na disputa. Sozinha, Gláucia obteve mais votos nas últimas eleições municipais do que Fabiano Guimarães e André Trindade juntos, os dois outros parlamentares pelo DEM.


Virou réu 
A Justiça Eleitoral aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público (MP) contra o vereador Isaac Antunes (PL) sobre um possível crime eleitoral de compra de votos nas eleições de 2016. O parlamentar teria utilizado o movimento “Muda Ribeirão”, que prometia “limpar o nome” das pessoas, para angariar votos. Por outro lado, ele negou todas as acusações e declarou que, a partir de agora, terá a oportunidade de se defender de maneira justa. 


"O que fizemos, com a consciência tranquila, foi um movimento justo e honesto muito antes do período eleitoral [...]. Foram três anos de massacre midiático"

Declarou o vereador Isaac Antunes (PL) após virar réu em um processo de compra de votos.

 

Compartilhar: