Bastidores da Política | 19.04.2019, política, greve, servidores, reajuste, prefeitura

Bastidores da Política | 19.04.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Multa em espera
A Prefeitura de Ribeirão Preto corre contra o tempo na Justiça para conseguir o direito de multar Sindicato dos Servidores pela greve. Contudo, apesar de ter a liminar aceita pela 1ª Vara da Fazenda Pública, a aplicação da multa ainda está sob análise. Caso seja aceita, o valor pode chegar a R$ 20 mil por dia.


De cara na porta
Os vereadores esperavam encontrar o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB), na última segunda-feira, 15, para uma reunião sobre a greve. Contudo, o prefeito viajara para São Paulo na noite anterior. Segundo a assessoria, Nogueira não foi notificado da reunião. No mesmo dia, o Executivo anunciou que irá descontar os dias paralisados dos salários dos servidores.
Foto: Ibraim Leão
Cidade Limpa
O vereador Paulinho Pereira (PPS) apresentou um projeto de lei para murais temporários de grafite para o distrito de Bonfim Paulista. Por outro lado, Orlando Pesoti (PDT) atentou para a lei da “Cidade Limpa”, e argumentou que o projeto poderia vir na contramão desta inciativa. Além disso, alegou que a Prefeitura não teria capacidade de gerir os murais. Apesar do encaminhamento contrário de Pesoti, o projeto foi aprovado.
Foto: Roberto Galhardo
Cabo eleitoral 
O prefeito Duarte Nogueira (PSDB), nos últimos meses, declarou apoio à Reforma da Previdência do governo federal e dá ênfase ao projeto sempre que surge uma brecha. Durante a última reunião da Região Metropolitana fez um longo discurso sobre a importância da proposta para os prefeitos vizinhos. Durante a coletiva em que mostrou a situação financeira da Prefeitura, no último dia 8 de abril, defendeu a Reforma como uma das únicas alternativas para “salvar” o país.
Foto: Ibraim Leão
“Vamos muito bem, obrigado”
A Transerp fechou 2018 com um crescimento de 16% na arrecadação com multas e um aumento total no patrimônio de 59,28%. Segundo a empresa, muito se deve ao aumento da fiscalização nas ruas e ao “bom trabalho realizado pela atual diretoria através de um cuidadoso controle das finanças da empresa”.

Foto: Aline Pereira

“Vamos pensar seis meses, daqui seis meses. Temos que ter gestão e resolver os problemas dos trabalhadores agora”

declarou Laerte Carlos Augusto, presidente do Sindicato dos Servidores, durante fala na tribuna da Câmara sobre a resposta da Prefeitura de que não há dinheiro para o aumento dos salários.

Compartilhar: