Bastidores da Política | 22.02.2019, política, bastidores, prefeitura, câmara municipal, executivo, legislativo

Bastidores da Política | 22.02.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

AÇÃO

Preso pela Operação Lava Jato na terça-feira, 19 de fevereiro, o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, é suspeito de ter guardado, em um bunker, cerca de R$ 100 milhões. A revelação foi feita pelo empresário Adir Assad, em delação premiada.


E REAÇÃO

Em Ribeirão Preto, o vereador tucano Maurício Gasparini se manifestou sobre o caso. Disse que se algum político dentro do PSDB fez algo errado, deve pagar. Estendeu, ainda, o puxão de orelha ao ex-presidente do partido, Aécio Neves. “[Ele] já deveria ter sido afastado do nosso partido há muito tempo e não foi ainda. Além de vários outros nomes”, afirmou.


AGORA VAI?

O arquiteto gaúcho Estevan Barin Moreira será o responsável pelo anteprojeto arquitetônico do Centro Administrativo de Ribeirão Preto. A divulgação do projeto vencedor foi publicada na terça-feira, 19 de fevereiro, no Diário Oficial do Município. O arquiteto, que possui um escritório na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, também assina o projeto de revitalização de um prédio histórico no centro de Recife. Ao todo, 21 iniciativas concorreram. Estevan recebe premiação de R$ 125 mil, como 1º colocado. O 2º lugar leva R$ 50 mil e o 3º, R$ 25 mil.


PAGAMENTO DOS 28%

A partir de março, 449 beneficiários começam a receber da prefeitura o pagamento do último acordo dos 28,35%, proposto pela lei 2.898/2018. Os valores são referentes às perdas inflacionárias do Plano Collor, nos anos 90. Vão receber os servidores ativos, aposentados e herdeiros que aceitaram o acordo. O valor a ser recebido no dia 20 de março será retroativo a contar de setembro de 2018, quando o acordo foi firmado. Feito esse pagamento do acumulado, os beneficiários passarão a receber, a partir de abril, uma parcela por mês até que se conclua a quitação do acordo, em dezembro de 2020.

AVISA LÁ

Foi aprovado o projeto lei do vereador Alessandro Maraca (MDB) que obriga o Executivo a informar à câmara, com antecedência mínima de 20 dias, qualquer reajuste na tarifa do transporte público na cidade. O texto pede que a prefeitura encaminhe toda a documentação que justifique o aumento para apreciação dos parlamentares. A lei, segundo vereadores, evita surpresas. “A população nos cobra na rua por um aumento que ainda nem tivemos acesso”, reclamou o vereador Otoniel Lima (PRB).

TROCA-TROCA

A Prefeitura de Ribeirão Preto inverteu as posições do secretário de Infraestrutura e do assessor geral do Departamento de Água e Esgotos (Daerp). O vaivém durou 10 dias: em 11 de fevereiro, foi anunciada a exoneração de Alexandre Betarello da Infraestrutura. No dia 12 , Luiz Eduardo Garcia foi nomeado para o cargo que pertencia a Alexandre. No dia 20, Alexandre foi nomeado ao cargo que pertencia a Luiz no Daerp.

“Aqui eu sou o que menos estudou. Não voto pensando em números e porcentagem, voto com o coração”

Adauto Marmita (PR), vereador que votou contra o projeto do teto do Instituto de Previdência dos Municipiários. 

Compartilhar: