Bastidores da Política | 22.03.2019, bastidores, politica, atentado, suzano, cpi, educação

Bastidores da Política | 22.03.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

UÉ?
O vereador Igor Oliveira (MDB) questionou o vencedor da licitação para gerir a nova unidade do Bom Prato em Ribeirão Preto sobre o porquê de o restaurante ainda não estar funcionando. “Boa pergunta. Também gostaria de saber”, respondeu o empresário. O diálogo ocorreu durante a Comissão Especial de Estudos que avalia o caso. Em tempo: a prefeitura anunciou que o restaurante ficará para o primeiro semestre de 2020.
Foto: Allan S. Ribeiro
QUANDO UM NÃO QUER...
Antes de ser ouvida na CPI da Educação, que investiga a morte de um estudante dentro da Escola Municipal Romualdo de Souza, a secretária municipal da Educação, Luciana Andrade, apresentou um documento atípico. Acompanhada dos dois advogados, ela levou um pedido de habeas corpus que garantia o direito de permanecer em silêncio quanto às questões que pudessem incriminá-la. Apesar de legal, o pedido não foi bem visto entre os parlamentares.


..DOIS SE ESTRANHAM
Inquieto, o vereador e presidente da Câmara, Lincoln Fernandes (PDT), esperou por quase meia hora um momento para encaminhar perguntas à secretária. "Essa liminar foi concedida dando o direito de não responder questões que possam incriminá-la. Então, houve crime?", perguntou Fernandes. "Não tenho competência para responder essa questão. Eu sou uma professora. Quem decide se é crime ou não são outros órgãos competentes", rebateu Luciana.

ZERO À DIREITA

A Prefeitura de Ribeirão Preto negou o pedido de aumento de 5,48% solicitado pelo Sindicato dos Servidores Municipais. Como descrito pelo presidente dos sindicalistas, Laerte Carlos Augusto, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) propôs 
“0% de aumento”.

CONVERSAR NÃO DÓI
O Executivo afirmou que segue aberto ao diálogo com os servidores, apesar de não dar brechas para qualquer reajuste nos salários. Em assembleia, o sindicato alegou que o gasto com pessoal na cidade está abaixo do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, portanto, caberia um aumento. 

Foto: Allan S. Ribeiro

"O pai tem que perder tempo conversando com o filho, perguntando se não tem nenhum elemento suspeito na escola"

Vereador Otoniel Lima (PRB), ao comentar o atentado em uma escola de Suzano (SP).

Compartilhar: