Bastidores da Política | 24.05.2019, bastidores, politica, vereadores, câmara, escolas, municipais, educação

Bastidores da Política | 24.05.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Chá de Câmara
Os vereadores de Ribeirão Preto esperam concluir a mudança dos gabinetes para o novo anexo da Câmara em até dois meses. O processo deve, enfim, caminhar, já que a compra dos imóveis, um dos maiores empecilhos, está em vias de ser concluída. Ao todo, a licitação custou R$ 726 mil, abaixo do valor estimado de R$ 1,4 milhão. Já o valor total da obra, previsto inicialmente em R$ 6,8 milhões, está próximo dos R$ 10 milhões.


Só que não 
O prefeito Duarte Nogueira (PSDB) sancionou o projeto de lei que cria a política municipal de adoção de animais de grande porte em Ribeirão Preto. Contudo, desde novembro de 2018, o município não tem ninguém para realizar esse tipo de atividade. Inclusive, uma licitação para a contratação de uma empresa foi cancelada no início deste ano. Segundo a Prefeitura, há um novo processo licitatório aberto.
Foto: Silvia Morais Camara
Como se fosse a primeira vez
O vereador Waldyr Villela (PSD) retornou para a Câmara na terça-feira, 21 de maio. Muito cumprimentado pelos colegas, inclusive pelos que votaram pelo afastamento do parlamentar, Villela precisou da ajuda de assessores para chegar até a mesa. Também foi necessário o apoio dos colegas para votar as pautas utilizando o sistema eletrônico da Câmara. O vereador não comentou sobre as acusações que levaram ao pedido de afastamento. 
Foto: Alan S. Ribeiro
Quem dá mais
Após a indicação do presidente da Câmara de reduzir o número de vereadores de 27 para 20, outros parlamentares começaram a se movimentar e encaminhar contrapropostas. Maurício Vila Abranches (PTB) enviou um texto no qual exige que o parágrafo da lei que assegura as 27 cadeias seja mantido e inalterado. Já Boni (Rede) protocolou um pedido de redução para 23. 
Foto: FL Piton
Sem Freio
Na Comissão Permanente de Educação da Câmara, os vereadores receberam o atual secretário da Educação, Felipe Elias Miguel. Durante a reunião, Miguel trouxe à discussão o problema das faltas de professores, o que, segundo ele, força a Prefeitura a contratar profissionais temporários. Para o presidente da Comissão, o vereador Fabiano Guimarães (DEM), judicialmente os diretores perderam o “freio pedagógico”, que era a atribuição das faltas por doença no processo de distribuição de aulas.

Foto: Alan S. Ribeiro

“A grande dor de cabeça dos diretores de escolas municipais em Ribeirão Preto é o número de faltas dos professores, que explodiu nos últimos anos”

 argumentou o vereador Fabiano Guimarães durante reunião da Comissão de Educação da Câmara.

Compartilhar: