Bastidores da Política | 26.04.2019, política, greve, servidores, reajuste, prefeitura

Bastidores da Política | 26.04.2019

As principais informações da política em Ribeirão Preto

Chegou cedo
O Partido Social Liberal (PSL) anunciou o primeiro pré-candidato à Prefeitura de Ribeirão Preto em 2020, o empresário Rodrigo Junqueira. Além de aceitar a missão de gerir a cidade, Junqueira também deverá reestruturar o diretório municipal do partido. No início do ano, a legenda sofreu um racha em Ribeirão Preto e perdeu toda a mesa diretora.
Foto: História do Dia
Companheiro pipoqueiro 
Além do Sindicato dos Servidores Municipais, uma das únicas pessoas em Ribeirão Preto que está comemorando a greve dos servidores é o pipoqueiro Leôncio José Nascimento, que bate ponto em toda manifestação. Famoso pelo bordão “bala, bala, chiclete”, o comerciante agora tem um novo grito para atrair os fregueses: “A greve continua! A greve continua!”. O pipoqueiro comemora, porque nem durante o mês de dezembro, o mais movimentado do ano, ele lucrou tanto quanto nessa greve. 

Alguém para desabafar 1
Dando prosseguimento à greve dos servidores, o sindicato busca artilharia contra o prefeito Duarte Nogueira (PSDB). Uma das pessoas que foram procuradas pelos funcionários públicos foi o vice-prefeito Carlos Cezar Barbosa (PPS). Na figura de vice, e não de representante do Poder Executivo, Barbosa ouviu as reivindicações dos servidores. 


Alguém para desabafar 2
Apesar de concordar com Nogueira sobre o impedimento de reajustar os salários por conta do limite de gastos estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, Barbosa admite que existem outras boas reivindicações dos servidores que podem ser atendidas. Uma delas é a reforma de várias escolas no município que apresentam problemas estruturais e falta de segurança.
Foto: Allan S. Ribeiro
Três é demais
A Câmara dos Vereadores optou por manter a sessão da última terça-feira, 23 de abril, mesmo sob forte pressão dos servidores em greve. Os grevistas já haviam conseguido pressionar os parlamentares para suspenderem duas sessões consecutivas. Apesar de a votação da pauta do dia ter levado menos de 10 minutos, os vereadores não cederam pela terceira vez. 

Foto: Allan S. Ribeiro

"Infelizmente a cidade está nessa situação, mas não por responsabilidade desta Casa"

declarou o presidente da Câmara dos Vereadores, Lincoln Fernandes (PDT), ao tratar da greve dos servidores municipais.

Compartilhar: