História de Luta, Superação, História, livro

História de Luta

Adolescente com câncer lança o livro “A jornada de uma garota que conquistou vitórias”. Aos 14 anos, Luiara Gomes Geribola soma conquistas e quer compartilhar mensagem de esperança


Texto: Bruna Romão Fotos: Ibraim Leão


A história de Luiara Gomes Geribola representa a de milhares de crianças que lutam contra o câncer. Aos cinco anos, ela enfrentava um tumor no sistema nervoso e já batalhava como gente grande. Foi nesse vasto caminho cheio de pedras que a jovem de 14 anos, de Tambaú (SP), decidiu registrar nas páginas de um livro toda a trajetória: escreveu “A jornada de uma garota que conquistou vitórias” e, no dia 20 de fevereiro, data de comemoração de seu aniversário, lançou a obra em uma noite histórica na Biblioteca Sinhá Junqueira. “Quando você é muito pequena não entende bem as coisas, tem de ver pessoas doentes, levar muitas agulhadas”, assim descreve a menina que se recorda pouco da época em que descobriu a doença. “Com o tempo, a gente aprende a conviver com as diferenças, a ver pessoas piores. Aprendi, também, a incluir essas pessoas junto de mim”, narra Luiara, que já passou por duas cirurgias para tratar a doença e agora quer compartilhar sua mensagem de esperança a quem enfrenta o mesmo desafio. O texto é um recado para tantos pequenos que, desde muito cedo, já encaram grandes problemas da vida.
“Você que sofre de um tumor, tenha fé, pois só ela te faz parar e refletir que tudo pode ter um final feliz”, observa a jovem
Luiara nunca imaginou que poderia escrever um livro e esse sonho só foi possível graças ao incentivo da voluntária Soraia, que, à época, conversava com a jovem no Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gaac). Ao ouvir a história, percebeu que tudo poderia estar nas páginas de um livro. Outra ajuda fundamental para publicar a história foi da rede de apoio liderada pelo Centro de Voluntariado de Ribeirão Preto. 

Em trechos da obra, Luiara destaca: “Você que sofre de um tumor, tenha fé, pois só ela te faz parar e refletir que tudo pode ter um final feliz. Mesmo com sofrimentos duros, cabe a você esquecê-los ou não”. A obra foi editada pela Outras Palavras. 

O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HC-RP) se tornou a segunda casa da jovem. Aos cinco anos, comemorou o aniversário dentro do HC-RP, algo novo para a menina, que mal entendia o que se passava. “Foi difícil ficar um tempo sem frequentar a escola e longe das pessoas de que gosto, além de ter de aprender a conviver com médicos em volta todos os dias”, lembra a escritora, que perdeu a visão de um olho em decorrência do aparecimento da doença.

Um dos grandes feitos para Luiara foi voltar a estudar. A apreciadora de uma boa leitura e fã da obra “A culpa é das estrelas”— que narra a história de dois adolescentes que se conhecem em um grupo de apoio para pacientes com câncer — pretende cursar a faculdade de Psicologia, pois almeja ajudar as pessoas, assim como fizeram com ela.

Outro trecho da obra que a jovem destaca são os sentimentos que conviviam com ela desde pequena: medo e vontade de ir embora. “Quero que as pessoas que passam por momentos difíceis e estão à procura de uma vitória leiam meu livro. Agora, mesmo com a doença, quero viver um dia de cada vez. Minha história é de muita dor, mas o tempo passou e amadureci, já tenho várias conquistas”, finaliza a jovem escritora. 

Compartilhar: