Ajudando um bom amigo

Ajudando um bom amigo

A Associação Amigos dos Animais busca recursos para construir nova sede em Ribeirão Preto

A Associação Amigos dos Animais de Ribeirão Preto (AAARP), fundada em 2012, oferece abrigo para animais abandonados e em situação de risco. Porém, a ONG enfrenta dificuldades financeiras. Ao todo, a associação cuida de 73 animais. Além disso, em 2021, após reclamações de moradores sobre o barulho dos cães, a AAARP recebeu uma notificação do condomínio em que estava localizada, intimando o fundador a se retirar com os animais até o dia 12 de fevereiro daquele ano. ONG recorreu à Justiça e conseguiu o direito de permanecer no local até maio de 2022.

A situação chamou a atenção do poder público. A Prefeitura, com o consentimento da Câmara Municipal dos Vereadores, concedeu um terreno à ONG na Zona Norte da cidade. Mas devido à falta de recursos e a dependência das doações, a associação ainda não conseguiu para começar a construção do novo local. Ademais, a AAARP passa por um momento complicado em que correm o risco de serem despejados com todos os animais, muitos em situações delicadas de recuperação devido ao resgate de maus tratos e de abandono.

Como é o caso de uma das moradoras da associação: a cadelinha Zara, abandonada na rua, onde deu à luz. Após pedidos de ajuda, a ONG recolheu Zara e seus filhotes imediatamente. Todos estavam tomados por uma doença inflamatória chamada sarna demodécia ou sarna negra. Sendo a sarna negra transmissível pela amamentação, a ninhada estava prejudicada pela doença e, sob os cuidados dos protetores da AAARP receberam os devidos tratamentos e foram colocados para adoção. Depois de algumas devoluções, três filhotes conseguiram encontrar um lar, com exceção de Pandora, que não conseguiu ser adotada e vive na companhia de Zara, na ONG.

Outro morador é o Aquiles, um pitbull resgatado na Zona Norte da cidade. Ele vagou cerca de 15 dias pelas ruas, até se envolver em uma briga com um labrador de um morador e para separa-los os moradores do bairro bateram em Aquiles até desmaia-lo. A polícia foi acionada e entrou em contato com a AAARP pedindo o resgate do cão. O pitbull foi levado e após cuidar dos ferimentos foi descoberto que ele tem hepatite, provavelmente causada pelo uso anabolizantes, uma prática condenável, mas não rara, entre alguns tutores de pitbulls.

Aquiles e Zara

A presidente da Associação, Camila Scarpino Barboza, explica que quando o Aquiles chegou ao abrigo pesava por volta de 30Kg e que ele ganhou 15kg desde então, devido a uma ração especial para o seu estado de saúde. “Isso dificulta muito sua adoção, pois a ração especial para o tratamento de hepatite tem um custo mais alto”, explica a presidente.

Para que a ONG continue ajudando os animais ela depende da construção da nova sede. Gastos com materiais e mão de obra para a construção estão além dos valores obtidos com as doações. Camila relata que mesmo depois da divulgação da construção, a arrecadação segue abaixo do necessário. “Não tivemos doação de material e as doações em dinheiro foram baixíssimas”, explica.  Como solução, a Associação decidiu adiar a construção do muro e colocar telhas de zinco no alambrado e chapa de ferro nos portões para baratear os custos.

“O nosso foco nesse momento será a construção 18 canis para que possamos sair da atual sede”, acrescenta a presidente. Mesmo com o prazo para retirada do atual imóvel no início de maio, a ONG irá recorrer à Justiça para fica até dia 31 de julho, mas depois não será possível pedir novas prorrogações. “Se não tivermos esses canis construídos iremos para a rua com nossos 73 cachorros que já sofreram muito e não mereciam estar passando por isso”, lamenta Camila. 

Compartilhar: