Profissionais dos Institutos de Pesquisa do Estado de São Paulo protestam em Ribeirão Preto
Reunião acontece no Taiwan Centro de Eventos

Profissionais dos Institutos de Pesquisa do Estado de São Paulo protestam em Ribeirão Preto

Ação ocorre na manhã desta segunda-feira, 20, durante encontro entre o governador Rodrigo Garcia, secretários e prefeitos estaduais

*Matéria em atualização.

A Associação de Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC) realiza protesto em frente ao Centro de Eventos Taiwan de Ribeirão Preto, na manhã desta segunda-feira, 20,  onde ocorre o encontro entre o governador Rodrigo Garcia, secretários e prefeitos estaduais. Os manifestantes cobram pelo reconhecimento dos profissionais dos Institutos de Pesquisa do estado. 

 

Segundo a presidente da associação, Patrícia Bianca Clissa, cerca de 3,1 mil servidores vinculados aos 16 Institutos de Pesquisa abrangidos pela Lei Complementar n. 125/75 se encontram em crítica situação remuneratória.

 

Na ação, permanecem representantes do Instituto de Zootecnia, APTA Regional Alta Mogiana, Instituto Adolfo lutz e Instituto Agronômico (IAC). 

 

"Têm pesquisadores desenvolvendo as mesmas pesquisas, as mesmas funções, rendimentos equivalentes aos professores universitários, e nós não. Não existe isonomia", afirmou o pesquisador científico APTA Regional Alta Mogiana, Colina, José Antonio da Silva.

 

Além disso, segundo os manifestantes, muitas áreas preservadas estão sem controle e outras foram fechadas, como a Superintendencia de Controle de Endemias (Sucen), Geológico e Florestal. 

 

"Por fim, ressaltamos as palavras do Governador Rodrigo Garcia em discurso no AgriFutura: 'os pesquisadores fazem com que São Paulo continue à frente no desenvolvimento no nosso país' e esperamos contar com vosso reconhecimento", pontua Patrícia. 

 

* Com a colaboração de João Pala 

Compartilhar: