Revide, Instituto Odilla Mestriner de Ribeirão doa 15 obras para Pinacoteca, Odilla, Mestriner, Pinacoteca, Museu, Marp, Usp

Além dos museus físicos que recebem obras de Odilla, família mantém museu virtual

Instituto Odilla Mestriner de Ribeirão doa 15 obras para Pinacoteca

Artista plástica ribeirãopretana falecida em 2009 possui obras em diversos museus paulistanos

O Instituto Odilla Mestriner doou 15 obras para a Pinacoteca de São Paulo nesta terça-feira, 12. A artista plástica que faleceu em 2009, nasceu em 1928, em Ribeirão Preto. Desenhista e pintora, entre 1955 e 1956 estudou na Escola Municipal de Belas Artes de Ribeirão Preto. Nessa época, montou seu ateliê e apresentou os trabalhos na Exposição do Centenário da cidade, em 1956. As principais características de sua produção foram o desenho com nanquim, com linhas e texturas, e a temática urbana em que também explorou cores mais vivas.

Segundo Bia Mestriner, sobrinha de Odilla e coordenadora do acervo, as obras foram escolhidas por uma comissão da própria Pincoteca, que já possui outras obras da artista. "Deram ênfase mais nas obras da década de 50 e 60, gostaram muito dessa evolução do traço dela", comenta a sobrinha. 

A família ainda mantém intacto os pincéis e tintas de Odilla
Todo o transporte das obras é feito por uma empresa especializada nesse tipo de serviço. Os profissionais contratados pela pinacoteca, além de embalar os quadros, colocam uma camada de plástico-filme nas obras que possuem vidro em sua moldura. O sistema funciona como os vidros de um carro, o plástico evita que o vidro se parta e danifique a pintura. 

As obras que partiram para a capital paulista foram: Casas (1958), Andantes XXVIII (1996), À Margem do Caminho (2004), Casas III (1960), Homenagel à Segal (1999), Fantástico Urbano XIII (1978), Trechos da Cidade (1966), Floresta Iluminada I (1983), Cabeças Repetidas I (1970), Assim Caminha a Humanidade (1996), Andantes XVI (1996), Anatomia da Casa II (1962), Festival de Corais II (1970) e Andantes III (1993).

Contudo, apesar de as obras deixarem Ribeirão, ainda é possível acessá-las virtualmente. Com o apoio do curso de biblioteconomia da USP está catalogado e digitalizado todo o acervo de Odilla, disponível neste link.

Fotos: Amanda Bueno/ Instituto Odilla Mestriner

Compartilhar: