Revide,Ex-alunos protestam contra o fechamento do cursinho popular em Ribeirão Preto,Protesto, Fechamento, Cursinho Popular, Ribeirão Peto

Os jovens gostariam que a prefeitura reconsiderasse a posição em relação ao fechamento do cursinho

Ex-alunos protestam contra o fechamento do cursinho popular em Ribeirão Preto

O protesto ocorreu na tarde desta sexta-feira, 12, na Câmara Municipal da cidade

Ex-alunos do cursinho pré-vestibular popular da Prefeitura de Ribeirão Preto realizaram um protesto contra o fim do programa "Educação e Oportunidade" na Câmara Municipal de Vereadores na tarde desta sexta-feira, 12.

A Prefeitura suspendeu o cursinho gratuito na última sexta-feira, dia 5 de janeiro, por conta do alto número de desistência de alunos e o baixo aproveitamento dos estudantes, segundo a administração. 

Rubia Sherimam Pereira da Silva, de 19 anos, que conseguiu ingressar no curso de Ecologia da Unesp com apoio das aulas do cursinho, lamenta o fim do programa. "É triste fechar o cursinho, porque isso vai acabar com o sonho de várias pessoas e dificultará ainda mais o ingresso de alunos de baixa renda na faculdade", conclui.

Sobre o baixo aproveitamento que a prefeitura alega, Rubia rebate dizendo que a maioria de seus colegas conseguiram ingressar em um curso superior devido às aulas do cursinho. "Tinha 120 alunos e a sala estava sempre cheia. Muitos passaram no vestibular", comenta. 

Outro ex-aluno, Wesley Silva Trindade de 20 anos, explica que o "Educação e Oportunidade" foi a única forma dele ter conseguido realizar as provas dos vestibulares em igualdade com os alunos de colégios e cursinhos particulares. "O cursinho era uma oportunidade para pessoas de baixa renda ingressarem em uma universidade", diz. 

O vereador Fabiano Guimarães (DEM) recebeu os ex-alunos na sala de comissão da Câmara, onde escutou os argumentos dos estudantes. Os jovens gostariam que a prefeitura reconsiderasse a posição em relação ao fechamento do cursinho. Segundo os estudantes, muitos adolescentes eram beneficiados com o programa.

Uma das sugestões do vereador era de fechar convênio com uma instituição mais barata. "Se o problema for o gasto com o cursinho, a prefeitura pode procurar outra escola que ofereça o serviço por um preço mais em conta", diz.

"É uma tremenda estupidez não dar oportunidade de estudo aos jovens", comenta o vereador. Guimarães promete que irá buscar uma solução para o problema junto à prefeitura. "Vou procurar viabilizar o cursinho social novamente de alguma forma", conclui.

Foto: Gustavo Ribeiro

Compartilhar: