Revide, Câmara quer proibir a comercialização de fios de cobre em ferros-velhos de Ribeirão , câmara, dos, vereador, ribeirao, preto, usp, projeto, lei, furto, feios, cobre, aluminio, ferro, velho, venda, reciclável

Câmara quer proibir a comercialização de fios de cobre em ferros-velhos de Ribeirão 

Veja mais o que foi discutido na Câmara dos Vereadores de Ribeirão Preto nessa quinta-feira, 3

A Câmara Municipal dos Vereadores de Ribeirão Preto aprovou, nessa terça-feira, 3, um projeto de lei que proíbe a comercialização de fios de cobre e alumínio em ferros velho de Ribeirão Preto. O projeto precisa passar ainda pela sanção do prefeito Duarte Nogueira (PSDB).

De autoria do vereador Rodrigo Simões (PDT), a proibição incide exclusivamente sobre o material sem a identificação de origem. A proposta prevê multa de 200 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (UFESPs), o equivalente a R$ 5,5 mil.

Na justificativa do projeto, o vereador enumerou os diversos furtos de fiação ocorridos em poços do Daerp e parques da cidade. Além dos furtos a residências e estabelecimentos comerciais.

"O objetivo é inibir o furto de fios, tanto de cobre quanto alumínio que vem acontecendo em Ribeirão Preto. O projeto foi uma sugestão dos próprios servidores da Infraestrutura", declarou Simões.

Sete Capelas

Também foi aprovado o projeto de lei que declara o Santuário das Sete Capelas como ponto turístico de Ribeirão Preto. O projeto também é de autoria do vereador Rodrigo Simões. A proposta visa uma ampliação do turismo religioso em Ribeirão Preto, um projeto que a Secretaria de Turismo tem estudado.

Repúdio

A sessão desta quinta-feira teve início com a leitura de um manifesto, assinado por todos os diretores do USP de Ribeirão Preto, em repúdio ao projeto de lei 529/2020, de autoria do governador João Doria (PSDB) do Estado de São Paulo.  

O projeto do governo  prevê o recolhimento de superávits financeiros de autarquias e fundações do Estado e sua transferência para a Conta Única do Tesouro Estadual. A medida afeta diretamente as três universidades estaduais paulistas: Unicamp, USP e Unesp. Além da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Para a leitura do manifesto estiveram presente os professores da USP Carlos Gilberto Carlotti Juniore Cristiano Roque Antunes Barreira. Os professores explicaram a importância da ciência, principalmente no momento de pandemia pandemia. 

Segundo eles, o projeto do governo do Estado representa um retrocesso, por isso, pedem que ele seja vetado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

À perder de vista

Pela terceira sessão consecutiva, foi aprovado o requerimento de adiamento da leitura do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou a dispensa de licitação na locação de ambulâncias para a Secretaria Municipal de Saúde. Dessa vez, o relatório foi adiado por duas sessões. O presidente da CPI, o vereador Orlando Pesoti (PDT), foi diagnosticado com Covid-19 e se recupera em casa. 

Foto: Câmara Ribeirão Preto

Compartilhar: