Revide, Políticos entram com ação contra o fechamento do PS Central, em Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, Saúde, Covid-19, Política

Políticos entram com ação contra o fechamento do PS Central, em Ribeirão Preto

Deputado Ricardo Silva (PSB) e Jean Corauci (PSB) criticam na justiça fechamento da unidade; Prefeitura espera inaugurar Centro de Saúde Mental no local

O vereador Jean Corauci e o deputado federal Ricardo Silva, ambos do PSB, foram à  justiça contra a decisão do fechamento da pronto-socorro Central de Ribeirão Preto. A Unidade Básica Distrital de Saúde (UBDS Central)  encerrou suas atividades de pronto atendimento no dia 1º de setembro.

 A ação visa o retorno dessa e de outras unidades, como a da UBDS do Quintino, que também foi destinada para outras atividades médicas que não sejam de urgência ou emergência. 

Na documento, ainda é apontada – na visão de Silva e Corauci –  outras irregularidades e problemas causados pelo fechamento da unidade. Primeiro, alegam que a decisão de transformar o PS Central em uma unidade de saúde mental não constou na ata de convocação do Conselho Municipal de Saúde. Ou seja, os conselheiros teriam sido "pegos de surpresa" com a proposta que iriam votar. 

“Está na hora de dar um basta nessa situação de abandono da saúde pública de Ribeirão Preto. O fechamento de mais uma UBDS, desta vez a que fica no coração da cidade, é um tapa na cara de quem precisa de atendimento médico. Não podemos aceitar mais esse absurdo, que soma a grande redução do número de médicos e também o fechamento de outras unidades”, afirmou Silva.

“São mais de 150 mil atendimentos por ano no PS Central. Não podemos admitir mais esse absurdo proposto por uma gestão que não mostra carinho pela população, que já fechou outras unidades e deixou a população sem médicos”, completou Corauci.

Centro de Saúde Mental

No local do PS Central, a Prefeitura espera implantar Centro de Saúde Mental com o objetivo suprir a carência de atendimentos e falta de leitos dessa especialidade na cidade. A criação do Centro foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Municipal de Saúde. A implantação do projeto foi aprovada também pela comissão intergestores da Direção Regional de Saúde e será encaminhada à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Ministério Público. 

“Temos como consequência inevitável um inchaço e sobrecarga das demandas de saúde mental na rede de prontos atendimentos do município, que não está preparada em termos de qualificação de recursos humanos e estrutura física para absorver essa demanda”, declarou o secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini.

O novo Centro será dividido em duas partes de atendimento, uma focada em pessoas com dependência em drogas e álcool, e a outra para atendimentos gerais. “Dependemos da demanda para organizarmos isso. Há pessoas que não tem problema com álcool e droga, mas estão passando por uma depressão e está pensando em suicídio", acrescentou o secretário.

O investimento será de aproximadamente R$ 700 mil e, de acordo com a Prefeitura, a estrutura atual será aperfeiçoada para assistir urgências psiquiátricas com atendimento 24 horas por dia. Os recursos orçamentários para custeio estão estimados em R$ 1,5 milhão por mês, sendo que R$ 400 mil serão custeados pelo Ministério da Saúde e o restante pelo município. A previsão de início das operações é para o primeiro semestre de 2022, após conclusão das reformas necessárias.

Foto: Reprodução Google Maps

Compartilhar: