Revide, Site resgata memória de um dos maiores nadadores do País, abilio couto, nadadores, natação, recorde mundial, canal da mancha, ribeirãopretano

Site resgata memória de um dos maiores nadadores do País

Abilio Couto foi a primeira pessoa a bater o recorde de tempo do Canal da Mancha duas vezes

O fim dos anos 1950 foram momentos de ouro para o esporte brasileiro. Além da conquista do primeiro título mundial de futebol, em 1958, na Suécia, a seleção brasileira de basquete venceu o mundial da modalidade, no ano seguinte, em torneio disputado no Chile. A tenista Maria Esther Bueno venceu dois dos principais torneios do circuito mundial, US Open e Wimbledon, e o nadador ribeirãopretano Abilio Couto bateu o então recorde mundial da travessia dos 33 quilômetros do Canal da Mancha, entre a França e a Grã-Bretanha, que completam exatos 56 anos nesta sexta-feira, 11.

Também em 1959, Abilio voltou a atravessar o canal pela terceira vez – já que também havia feito o trajeto no ano anterior, mas sem recorde – e bateu, novamente, a melhor marca de tempo. A primeira pessoa a conseguir o feito. Mesmo assim, o nadador, que também era advogado, negou um prêmio de 5 mil libras oferecido pela Long Distance Swimming Federation, hoje integrante da Federação Internacional de Natação (FINA), organizadora da travessia.

O valor poderia ajudá-lo, porque ele tinha vendido vários pertences, como móveis e o carro, para ir para Europa realizar os feitos. Mas, Abilio não ficou de mãos vazias, tanto que a prefeitura de Roma concedeu o título de barão a ele, por ter “conservado as virtudes de seus antepassados”.

“Ele assombrou o mundo, mas negou toda proposta de dinheiro, porque não nadava por isso, nadava por amor ao esporte”, aponta o administrador Daniel Couto, neto de Abílio, que cuida do site que conta toda trajetória do ribeirãopretano por meio de fotos e recortes de jornal da época. O portal entrou no ar nesta sexta-feira.

Confira aqui
O site nasceu por acaso, porque quando o avô de Daniel morreu, em 1998, aos 73 anos, ele havia deixado muitos documentos a respeito das travessias a nado que realizava, como os relatórios de desempenho debaixo d’água.

“Era um verdadeiro baú. Até hoje eu vou descobrindo coisas novas. Por exemplo, o fato de ele ter sido a primeira pessoa a ter nadado os dois sentidos do Canal da Mancha foi há poucos meses”, revela o empresário. “Descobrimos travessias realizadas em outros lugares, e enviamos, em 2002, o material para a FINA, que incluiu meu avô no Hall da Fama dos nadadores”, completa.

Além do trajeto entre França e Grã-Bretanha, Abilio também atravessou a nado o estreito do Gibraltar, que separa a Europa da África, em 1965, um percurso de 14 quilômetros, isso aos 40 anos de idade, e tornou-se o homem mais velho a realizar a façanha.

“Ele é muito mais famoso fora do País do que aqui. Mas aos poucos vamos mudando isso”, comenta Daniel, que fez questão de colocar em inglês e português todas as reportagens e textos presentes na página.

Revide Online
Leonardo Santos
Fotos: Arquivo Pessoal

Compartilhar: