Revide,Demissões continuam, mas ritmo desacelera, aponta estudo,demissões, comercio, vagas

Demissões continuam, mas ritmo desacelera, aponta estudo

Comércio teve o melhor desempenho; construção civil exibe o pior cenário

Pelo 19º mês consecutivo, o município e a região de Ribeirão Preto tiveram diminuição nas vagas de trabalho. Os dados de outubro de 2016 foram divulgados pelo Boletim Mercado de Trabalho divulgado da Ceper/Fundace).

Entre as regiões analisadas, somente o município de Sertãozinho criou novos postos de trabalho. Embora todas as demais regiões tenham destruído vagas no período, houve redução no montante de demissões líquidas em comparação com outubro de 2015. “Isso significa que, ainda que não se possa falar em recuperação, há ao menos uma desaceleração dos desligamentos”, aponta o professor da FEA-RP e pesquisador do CEPER/Fundace Sérgio Sakurai.

Entre os setores, Comércio exibiu o melhor desempenho em nível nacional, no Estado de São Paulo, na região administrativa de Ribeirão Preto (RARP) e no município de Ribeirão Preto\. A Construção Civil, por sua vez, exibiu o pior desempenho, com poucas vagas em todas as regiões analisadas.

“O desempenho positivo do setor comercial pode ser explicado em parte pelas contratações temporárias referentes às festas de final de ano. Já o baixo desempenho da Construção Civil é reflexo de uma tendência mais prolongada, resultado do baixo crédito imobiliário e elevado desemprego, consequência da crise econômica vigente no Brasil”, avalia Sakurai.

Demissões caem na região

Somente a Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP) e os municípios de Ribeirão Preto, Sertãozinho e Franca apresentaram redução no montante de vagas no acumulado entre novembro de 2015 e outubro de 2016 em comparação com o registrado entre novembro de 2014 e outubro de 2015.

A região encerrou o mês de outubro de 2016 com destruição líquida de 316 vagas, montante que, apesar de negativo, é significativamente inferior ao montante de 1.620 demissões líquidas registrado em outubro de 2015. Entre os setores, o Comércio foi o único a criar vagas (177 admissões líquidas). A Indústria, por sua vez, registrou o maior volume de demissões líquidas.

Setorialmente, a Indústria, o Comércio e Construção Civil apresentaram redução de demissões líquidas, enquanto o setor de Serviços apresentou aumento no número de demissões líquidas.

Foto: Arquivo Revide

Compartilhar: